Peraí,volto já ;)

RicamatsuDestralha

#destinopositivo #féinabalável #gratidãosempre

Copyright © Destralha | Design by WebSuccessAgency

Mais alívio para a vida!

Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

A “desimportância” das redes sociais


Parece até que foi ontem que estávamos todos nós redescobrindo a interação dos relacionamentos na internet através do finado orkut. O que mudou até hoje com a multiplicação das redes sociais? Apesar de seu lado saudável, continuam roubando nosso tempo de forma bem sutil. Seja promovendo o consumismo ou até mesmo controlando o emocional da gente através da timeline, como constatado nas últimas pesquisas sobre comportamento humano nas redes. Mais malefícios que benefícios? Depende. As redes sociais estreitam” as relações nos dois sentidos. Podem unir e afastar. A questão é importância demasiada que damos a estas plataformas virtuais de comunicação. Te convido a dar um tempo na linha do tempo, pensar sobre a desimportância das redes sociais e até onde elas são fundamentais na sua vida.

Faz um pouco mais de dez dias que deixei cair meu smartphone no chão de modo que sua tela se estatelou e acabei ficando sem meu brinquedo para interagir nas redes sociais. Era um hábito acordar e dormir com uma toucheada básica no display para saber as novidades. Para não ficar sem contato, comprei um daqueles celulares baratos que só tem função de voz e SMS. Aqui na NZ não tem assistência da marca do meu aparelho e nem sei por quanto tempo mais ficarei sem o ditomal smartphone. Devo consertá-lo mais pra frente. O importante é que isso me fez refletir ao invés de querer ter um novo de última geração.

Como deixarei de ter sempre a mão as atualiazações do facebook? E se pintar uma ocasião legal pra fazer um selfie no instagram? E se eu precisar usar um daqueles apps mão na roda para fazer alguma coisa? Será que as pessoas vão pensar que estou as evitando porque deixei de responder o whatsapp na hora? Ou mesmo pensarão que algo aconteceu por diminuir a frequência de postagens na minha timeline? Quantas dúvidas! Pois é, isto mesmo, o que esta grande importância que atribuímos ao meio digital nos proporciona são dúvidas, muitas dúvidas. Nós nunca conseguiremos perceber as nuances reais dos relacionamentos na forma digital.

Em muitas noites que dormi em hostels aqui na Nova Zelândia, as pessoas sempre passavam mais de uma hora no celular deitadas na cama antes de dormir. Fuçando, postando e atrapalhando o sono de cada um com suas telinhas reluzentes na escuridão do quarto. Que urgência é esta de clicar a todo instante? Porque nossos momentos não podem ficar mais apenas em nossas memórias?

Já parou pra pensar nisso? Em quanto tempo você gasta com redes sociais, facebook, programinhas de bate-papo ao invés de simplesmente viver o momento sem foto, sem selfie, sem neuras de botãozinhos que pipocam na linha do tempo? Imagine quantos quilômetros você já rolou com o mouse na linha do tempo? E já pensou se essa quilometragem rodada fosse (de verdade) na estrada? Muita gente provavelmente já teria ido do Oiapoque ao Chuí. Ou pelo menos teria tempo e movimento suficientes para ir visitar um amigo em sua casa. Quem sabe até, parado pra bater um papo despretensioso com o vizinho ao invés de passar o tempo todo fazendo makeup de bits.

A enorme capacidade de enxergar dos nossos olhos, hoje focam muito mais tempo em uma telinha de pouco mais de 5 polegadas. Desse jeito que vai, damos uma importância tremenda a redes sociais, que se formam com menos consistência que uma teia de aranha, daquelas que se alimentam de moscas domésticas. Não seria bom estarmos mais na presença física, sentir mais os beijos, os cheiros, os abraços e apertos de mão? Vamos gastar mais saliva, mais sola de sapato e sentir o real e verdadeiro touch!


Rica Matsu
Escritor e agora tem um celular com MP3 que tem função de voz e até manda SMS


4 comentários:

  1. Bela reflexão! Eu mesma ja refleti sobre o quanto de tempo que perco nas redes sociais... E é um vício né? Automático! Tenho diminuído o acesso... Já que acesso durante o dia, tento usar o mínimo possível quando chega em casa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Bruna! É muito curioso o quanto a gente fica envolvido nas redes mas de forma virtual. Tem um lado muito bom como aquele de manter o contato com pessoas que estão longe, a tecnologia etc. Mas penso que gastamos tempo e energia muito muito muito além do necessário no mundo da "teoria digital". Tipo como vc falou é um vício, mas muito bem mascarado... :)

      Excluir
  2. Olá! Acho que é a primeira vez que leio seu blog; cheguei aqui por um link no Uma Vida Mais Simples. :)

    A única rede social que eu tenho e realmente uso é o Skoob e mesmo assim porque me ajuda a ter um "controle" das minhas leituras.

    Eu AMAVA o Orkut, usei muito na época, mas não tive a mesma paixão pelo facebook. Tentei ter perfil por lá, umas cinco vezes, mas desisti de vez no começo do ano passado e não sinto falta nenhuma. Mesmo caso com o whatsapp (que ainda tento) e twitter (também desisti). Nunca gostei muito do instagram, então foi fácil não ter conta lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andrea! Acho que tem um lado muito bom das redes sociais, mas são tantas que acabamos perdendo tempo demais. O facebook tem se tornado a nova "televisão". Bem como as demais redes, uma sai de moda outra entra e os relacionamentos reais ficam cada vez mais limitados pelo meio digital. Também curtia muito o Orkut, era menos "digitalizado".

      Excluir