Peraí,volto já ;)

RicamatsuDestralha

#destinopositivo #féinabalável #gratidãosempre

Copyright © Destralha | Design by WebSuccessAgency

Mais alívio para a vida!

Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Junk food



Junk food ("comida lixo", numa tradução literal do inglês), também coloquialmente, "porcaria" ou "besteira", é uma expressão pejorativa para "alimentos com alto teor calórico, mas com níveis reduzidos de nutrientes". (Wikipédia).

Que atire o primeiro churros aquele que nunca cometeu uma jacada em plena madrugada! E que jamais ficou com fome ao passar de frente ao fast food do palhaço satânico. Ninguém, eu sabia! Os veganos que me perdoem mas nem só de broto de trigo viverá o homem.

O melhor dos mundos seria que os fast and junk foods fossem de alguma maneira saudáveis. Quem sabe um dia, a coca-cola faça uma versão 100% orgânica. Em abril deste ano, o McDonald's inaugurou sua primeira loja vegetariana na Índia - seria um sinal dos deuses? Não, é o mercado mesmo.

Longe de ser vegetariano, pelo contrário, sou tiranossauramente carnívoro. A questão não é nem essa. Se vegetal ou animal não importa. Alimentar-se bem é ficar o máximo possível longe das besteiras. Comer é um dos maiores prazeres da vida. A indústria sabe muito bem disso. É ardilosa, nos encanta com suas alquimias e mensagens subliminares.

Tenho uma alimentação saudável e por mais que evite tais porcarias, uma vez ou outra me pego com vontade comer estas iguarias proibidas pela estética e pelo sindicato das balanças de farmácia. No meu caso, são doces em especial. O que fazer? Se permitir. Não vamos ser hipócritas. Excesso, esse é o ponto. Não é crime comer besteira, desde que se tenha consciência.

Se eu conseguir evitar ao máximo comer junk food, melhor para meu organismo. Ponto positivo para minha saúde. Bom seria comer tudo o mais natural possível! A indústria facilitou nossa vida trazendo praticidade para o nosso dia-a-dia. Infelizmente, ela se perdeu nos caminhos do capitalismo. Impõe no nosso cardápio produtos cada vez mais artificiais, química e psicologicamente direcionados para um consumo sem limites. E a saúde vai pro espaço.

Aí que entra o minimalismo na história. Menos é mais, sempre. Entre uma besteira e outra, tente dar um intervalo cada vez maior. Tente reduzir a quantidade. Ao mesmo tempo, procure alternativas mais saudáveis que possam fazer o mesmo efeito. Aumente o intervalo, inclusive, entre uma colherada e outra de sorvete. Pode parecer bobagem, mas funciona.

rica


Um comentário:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postar um comentário